Quem somos

Dharma  (ou darma), é uma palavra do idioma sânscrito que significa literalmente “aquilo que sustenta, que mantém“. O termo é usado principalmente nas tradições do Yoga e do Budismo.

No Yoga, “Dharma” é a força régia da vida, a própria Verdade que sustenta a existência humana, incluindo as Leis que mantém o Universo, como a da gravidade. Tem também uma dimensão pessoal, associada ao nosso papel e deveres no mundo (svadharma), e está ligada a ideia de uma vida regida por valores éticos.

Bhūmi é uma palavra em sânscrito cujos principais significados são  “terra”, “lugar” e ”caráter”.

Yoga

YOGA é uma palavra muito desgastada atualmente, principalmente porque seu sentido original foi se perdendo com o passar dos séculos. Yoga é uma ciência do autoconhecimento. Para atingir esse autoconhecimento, usa técnicas variadas: posturas físicas (ãsanas), exercícios respiratórios (prãnãyãmas), meditação, mantras, mudras, entre outras. Mas o Yoga é principalmente uma forma de ver o mundo, uma forma de estar no mundo, buscando uma vida de valores éticos, como não-violência, verdade, perseverança, contentamento, estudo, fé.

Praticamos Yoga para aquietar a mente. E para que? Para que, com a mente aquietada, sejamos capazes de perceber nossa real natureza, nosso Eu verdadeiro. Não somos o conjunto de papéis que desempenhamos – pai/mãe, filho(a), amigo(a), aluno(a), profissional, marido/esposa – nós apenas estamos desempenhando alguns desses papéis hoje. Também não somos as coisas que possuímos, e nem sequer o nosso corpo, mente ou pensamentos. Todas essas coisas são transitórias.

Nossa mente também se agita por vivermos pensando no futuro, o que faz surgir preocupação, ansiedade, medo, insegurança. Ou então vivemos no passado, que muitas vezes nos traz remorsos, arrependimentos, lembranças. Assim, nos esquecemos que vida só acontece no presente.

O Yoga que praticamos tem seus fundamentos na tradição Védica, sendo os Vedas (“Veda” quer dizer “conhecimento”) as escrituras mais antigas que a Humanidade conhece. O principal livro que sistematiza o conhecimento do Yoga é o “Yoga Sutras”, de Patañjali. Nele, no segundo sutra, o autor explica:

yoga

Pode ser traduzido como: “Yoga é a cessação/recolhimento (nirodhah) das agitações (vrtti) da mente (chitta)” ou “Yoga é a cessação da identificação com as flutuações da mente”. E então, a partir daí, descobrimos nosso Ser verdadeiro, e nos conectamos com nossa verdadeira natureza.

O Yoga é, assim, o caminho e é também a meta. Deixe o Yoga mudar sua vida. Pratique e seja feliz!

menina-yoga1

YOGA PARA CRIANÇAS ?

Sim, Yoga para crianças. Nossas crianças hoje em dia têm sua vida tão ou mais agitada que os adultos! São inúmeros compromissos – balé, judô, natação, música, inglês etc. – que não sobra tempo para serem… crianças! As crianças e jovens estão expostos a um grande volume de estímulos: celulares, tablets, internet, games, e são também vítimas do modelo consumista e competitivo de nossa sociedade.

As aulas de Yoga para crianças têm uma dinâmica própria e usa elementos lúdicos, conforme a idade dos alunos. A prática melhora a postura, flexibilidade, força, equilíbrio, autoconfiança, concentração e coordenação motora. Diminui a ansiedade e reduz a agitação da mente de forma a equilibrar o excesso de estímulos.

O Yoga também promove valores importantes: não violência, falar a verdade, não se apropriar do que não lhe pertence, persistência, perseverança, foco, tolerância, atenção, calma e relaxamento.

Como ensina o professor Marcos Rojo (USP), “yoga e criança compõem uma boa combinação, desde que yoga seja tratado como yoga e criança como criança.

Agende uma aula experimental sem compromisso pelo e-mail contato@dharmabhumi.com.br

Meditação

Para entender o que é Meditação, primeiro é preciso esclarecer uma coisa importante. Meditação tem dois sentidos. O primeiro é a “técnica” empregada (por exemplo, se concentrar na respiração). O outro sentido é o “estado da mente”, chamado de “Dhyana”, o sétimo passo descrito por Patañjali nos Yoga Sutras.

O que mais ouvimos dos alunos é “não consigo meditar porque não consigo parar de pensar”. Ora, mas é isso mesmo! Esse é o papel da mente, produzir pensamentos. Eles são indispensáveis para nossa vida nesse plano. O problema não é sua mente pensar, mas sim você se identificar com os pensamentos!

Um erro comum que as pessoas cometem quando começam a meditar é “esperar que algo aconteça”. As pessoas ficam procurando alguma coisa, alguma sensação quando, na verdade, o que você precisa fazer é simplesmente observar. Com o tempo, você vai perceber como os pensamentos surgem, e vai conseguir deixar que eles simplesmente passem, sem julgamentos, sem se apegar a eles.

A importância da meditação

Muitos estudos científicos recentes comprovam que a meditação frequente tem a capacidade de mudar nosso cérebro. Chama-se plasticidade a essa capacidade do cérebro de mudar sua forma e funcionamento a partir da experiência. Então, quando você torna a meditação uma experiência rotineira, seu cérebro vai se modificando.

Dois aspectos relevantes dessa modificação são:

– há um aumento da massa cinzenta (importante componente do sistema nervoso central, que contém o corpo celular dos neurônios) na região do hipocampo, que é um órgão pequeno situado dentro no centro do cérebro. Ele é uma parte importante do sistema límbico, a região que regula nossas emoções. O hipocampo é associado principalmente com a memória, em particular memória de longo prazo.

– há uma redução da massa cinzenta em regiões como as amígdalas cerebrais (não as que temos na região da garganta), associadas às respostas emocionais, como estresse e ansiedade. Ou seja, a meditação aumenta nossa capacidade de reagir com mais calma aos estímulos que podem nos estressar, causar medo e ansiedade.

Uma dica importante: comece devagar, com apenas 5 minutos por dia. Mais importante é a rotina da meditação. Ou seja, é melhor você meditar 5 minutos, todos os dias, do que meditar 45 minutos uma vez por semana. Lembre-se, é a experiência da meditação diária que vai trazer os benefícios para sua saúde!

No dharma bhūmi temos horários específicos de meditação orientada, com  alternativas de técnicas para que você escolha a que mais te agrada.

ilustracao buda

Vídeos
Horários
Atividade SEG TER QUA QUI SEX
YOGA 7:30 – 8:30 7:30 – 8:30
8h – 9h 8h – 9h
YOGA GESTANTES 7:30 – 8:30 7:30 – 8:30
YOGA 8:45 – 9:45 8:45 – 9:45
9:15 – 10:15 9:15 – 10:15
YOGA RESTAURATIVO 10h – 11:30
YOGA PROJ. GUGU 10:15 – 11:15 10:15 – 11:15 Reservado para eventos, cursos e atividades.
YOGA KIDS 10:30 – 11:15
YOGA GESTANTES 15h – 16h 15h – 16h
YOGA LEVE 15h – 16h 15h – 16h
YOGA 16:15 – 17:15 16:15 – 17:15 16:15 – 17:15 16:15 – 17:15
17:30 – 18:30 17:30 – 18:30 17:30 – 18:30 17:30 – 18:30
18:45 – 19:45 18:45 – 19:45 18:45 – 19:45 18:45 – 19:45
YOGA RESTAURATIVO 19h – 20:15 19h – 20:15
YOGA 20h – 21h 20h – 21h 20h – 21h 20h – 21h
Horários sujeitos à alteração sem aviso prévio.
Contato

Sejam bem-vindos!

Se você quer ser avisado sobre eventos, cursos e outras atividades do dharma bhūmi, é só colocar seus dados no formulário abaixo.

Telefone: (21) 97008-5889
E-mail: contato@dharmabhumi.com.br
Endereço: CENTER IV – Rua Gavião Peixoto, 182 sala 713 Icaraí – Niterói – RJ

Seu nome:

Seu e-mail:

Seu celular/Whatsapp:

Pratica Yoga?
SimNão

Sua localização:

Mensagem: